3 fatores de uma plataforma de e-commerce ​de alta performance​

Aprenda a diferenciar plataformas.

Há hoje no mercado centenas de soluções para lojas virtuais. A popularização do acesso e uso de tecnologias digitais têm tornado esses produtos cada vez mais comoditizados: quando os clientes não conseguem perceber a diferenciação entre eles. Além de tornar a busca por uma plataforma de e-commerce cada vez mais difícil para os empreendedores, isso trouxe um desafio para os fornecedores de tecnologia: como se diferenciar perante à concorrência?  

Durante minhas pesquisas para montar a plataforma da Flexy Digital, busquei algumas referências e características fundamentais para uma plataforma de e-commerce se destacar frente às outras.

Depois de conversar com empresários, conhecer as demandas do mercado e ver o que estava sendo feito no exterior, gostaria de compartilhar com vocês os 3 fatores de uma plataforma de e-commerce de alta performance que, além de diferenciar uma plataforma de uma mera ferramenta, tornam a experiência de compra agradável para o consumidor e rentável para o varejista.

1. Serviço de implantação e acompanhamento.

Não é o preço da ferramenta que define a qualidade de uma plataforma – você pode ter sistemas de e-commerce cheios de recursos ​sem custo nenhum​. A diferença está no serviço prestado pelo fornecedor:

  • Criação do projeto de e-commerce;
  • Implantação da plataforma;
  • Capacitação do empresário e acompanhamento do sucesso da operação de e-commerce;
  • Assessoria que uma empresa experiente na área pode proporcionar na hora de entrar em um mercado desconhecido e cheio de incertezas​.

Eu já escrevi sobre o assunto no blogpost: Por que os preços das plataformas são tão diferentes?

Uma plataforma de e-commerce que se destaca não entrega apenas um software. Ela empodera o empresário com todas as ferramentas e os​ saberes necessários para começar a escalar sua loja virtual.

Além de entregar a tecnologia (em forma de software), ela fornece todo o conhecimento, os serviços, as atualizações tecnológicas, a estrutura de servidores, a gestão de segurança e os especialistas atentos ao seu projeto.

2. Modulação e escalabilidade.

Você cria sua loja virtual e logo​ percebe que um gateway de pagamentos adicional é necessário. Depois, se dá conta que é preciso integrar sua loja com o webservice de uma transportadora. Uma personalização de vitrines ​também se torna essencial para ​aumentar ​as taxas de conversão. E, para completar, você vai trocar de CRM e precisa integrá-lo ao sistema!  E agora?

Uma boa plataforma de e-commerce deve permitir todas essas alterações sem gambiarras ou improvisos. Ela deve contar com módulos que podem ser ativados com facilidade, a fim de liberar esses recursos.

Outro ponto tecnológico importante é a escalabilidade – ou seja, a capacidade de crescer de forma sustentável, sem gerar problemas ao servidor, como quedas e travamentos, e sem precisar jogar fora o projeto inicial e começar outro do zero​. O servidor precisa estar preparado para receber o maior número de visitantes possível, continuando estável mesmo em épocas de grande volume de acessos, como em datas comemorativas.

Vale alertar que a grande maioria das soluções open-source que encontrei no mercado não são aderentes à escalabilidade de desempenho oferecida pelas novas tecnologias de computação em nuvem. Até é possível instalar uma dessas soluções em uma nuvem como a Amazon, no entanto, no momento de pico de audiência, o processamento não fica distribuído entre os diversos servidores deste grid e acaba tirando a loja do ar.

3. Flexibilidade e adaptação.

Esse ponto precisa ser bem observado pelos gestores que querem implantar uma loja virtual. A plataforma é capaz de funcionar com a cara da sua empresa? Não falo aqui só da parte visual, mas também do cadastro de produtos, disponibilidade de estoque, ​variações de modelos (SKUs).

O fornecedor da plataforma não precisa, necessariamente, prover toda a customização do e-commerce. Mas ele deve pelo menos facilitá-la, sem criar empecilhos técnicos para os programadores, especialistas em SEO​ e designers trabalharem. Isto é, ela precisa ter abertura para acrescentar implementações. Costumo comparar com os bloquinhos do Lego, que você pode ir encaixando para aumentar sua estrutura.

#

Os termos ainda parecem confusos? Acesse: 4 termos que você precisa entender ao contratar uma plataforma para clarificar essas questões e ajudar você a escolher a melhor plataforma de e-commerce.

Se você está em busca de uma plataforma de e-commerce B2B, não deixe de fazer o check-list de funcionalidades e comparar as soluções do mercado aqui.

Veja também!

Avatar

Cristiano Chaussard

Especialista em E-commerce no Atacado, Marketing de Relacionamento e CRM pela ESPM e Gestão da Inovação pela USP, Fundador e Diretor de Expansão da Flexy Digital e Presidente ABComm/SC (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico em Santa Catarina).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.