vendas online

Vendas online, solução em tempos de crise!

A previsão para o ano de 2016, é que a migração das vendas para o meio digital continuem. Estimando um aumento de 8% no crescimento nominal e chegando a um faturamento total de R$ 44,6 bilhões, estima-se o mesmo percentual de aumento para o tíquete médio, atingindo o valor médio anual de R$419,00. Segundo Cláudio Felisoni presidente da IBEVAR, levando em consideração o ano, a intenção de compra online dos consumidores atingiu patamares maiores do que em períodos anteriores. O que nos mostra que em momentos de instabilidade econômica, o consumidor enxerga a internet como um canal para comprar de forma mais planejada e com melhor custo-benefício. O relatório também aponta que em 2015 o acesso em lojas virtuais via dispositivos móveis no Brasil, foi de 35%, atingindo a marca de R$5 bilhões em vendas movimentados através de smatphones ou tablets. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entre todas as lojas virtuais brasileiras, 70% delas fazem menos de dez vendas por mês. O motivo é que para um e-commerce escalar, não basta apenas abrir a loja. É preciso inovar, pensar em estratégia de preços, canais, logística, marketing e contar com uma plataforma robusta. Ou seja: demanda investimento, principalmente de tempo, e dedicação. Senão, escalar fica complicado!

Baixe aqui a versão completa da 33ª Edição do Relatório Webshoppers 2016.

Na onda de um mercado trilionário

Vendas entre indústrias devem movimentar até 1,81 tri ainda esse ano

Em 2015, o diretor da Flexy Negócios Digitais, Cristiano Chaussard, deu entrevista à “Revista Empreendedor”, em matéria de capa, sobre vendas online para a indústria e o atacado e sua rápida ascensão. Dois anos depois, os números continuam promissores. A seguir, você confere o resumo da matéria de Marlon Assef, com dados atualizados.

Leia Mais