O que Steve Jobs pode nos ensinar sobre e-commerce

Que Steve Jobs é um mito da inovação tecnológica, não é novidade para ninguém. O fato é que antes da sua partida repentina, o criador da Apple deixou de lembrança ensinamentos valiosos para quem deseja empreender e ser vitorioso nos negócios. Um dos textos mais famosos extraídos do seu legado é o que aborda as sete regras para obter sucesso. Essas regras são bastante abrangentes, aplicam-se a diversos tipos de situações. Não seria diferente com o e-commerce. Se fizermos as devidas adaptações para a nossa realidade, Jobs nos leva a uma reflexão bem interessante sobre o comércio eletrônico, se estamos no caminho certo. Neste post, vamos analisar algumas das relações entre Steve Jobs e e-commerce, com base nas sete regras deste lendário guru.

1. Faça o que você ama

É a premissa básica para que um empreendimento dê certo, tanto na vida pessoal como na profissional, e nos negócios. Ou seja, não entre para o e-commerce por obrigação, sem engajamento. Conheça como as vendas online podem ser estratégicas para expandir seu negócio e confie nelas, dedicando tempo e atenção necessárias. Comece a estudar sobre o assunto, conhecer as ferramentas, as plataformas e tecnologias disponíveis, para depois recorrer a um especialista. Você vai aprender a gostar de comércio eletrônico, dará mais valor a esta atividade e verá resultado nela. No mundo dos pagamentos também já é possível, em algumas das melhores plataformas do mercado, oferecer ao consumidor que pague somente depois de receber o produto e experimentá-lo. A inovação sempre vai colocar sua loja em evidência.

2. Deixe uma marca no universo

Esta regra está ligada a inovação. Você já tem um site de vendas online, mas como pode ser diferente? A internet e o consumidor não perdoam amadores, e há uma concorrência muito forte entre empresas na web. Invente algo diferente para sua loja virtual. Converse com um especialista e veja como implementar. Um exemplo: quem trabalha no ramo da moda, porque não disponibilizar um provador virtual de roupas? Sim, é possível, através de uma combinação fina entre a loja, a transportadora e a operadora de cartão de crédito. Com certeza, vai surpreender o seu cliente, deixar uma marca.

3. Faça conexões

Jobs dizia que a criatividade está em conectar coisas e ideias, e que não vivemos em uma bolha. No comércio eletrônico, não há como sobreviver sem ter grandes parceiros, aí incluímos fornecedores, distribuidores, representantes comerciais, entre outros. Quando mais alinhados, numa relação de confiança, melhor. Outro exemplo interessante de conexão no e-commerce são os marketplaces, onde há sinergia de esforços para obter resultados. No Brasil, podemos citar o CDL Shopping (www.cdlshopping.com) como case de conexão. Pequenos e médios varejistas, unidos em um único portal, com o intuito de tirar o que há de melhor do e-commerce.

4. Diga não a mil coisas

Essa regra pode ser traduzida em alguns erros cometidos no e-commerce, como oferecer uma infinidade de produtos em sua loja online, com o objetivo de obter uma falta (falsa) impressão de relevância na web, entre clientes e concorrentes. Cuidado, este pode não ser o caminho mais correto. Estar à frente da concorrência nem sempre é uma questão quantitativa. E, sim, qualitativa. O diferencial está na qualidade do atendimento, na qualidade do serviço online prestado, e na assertividade da gama de produtos oferecidos. Identifique o que realmente importa ser vendido ao seu público-alvo. Segmente. Quando Jobs assumiu a Apple ele reduziu a quantidade de produtos oferecidos pela marca de 350 para apenas dez. No entanto, são dez produtos inigualáveis, como o iPhone e o iPad.

5. Crie experiências diferentes

Como é a experiência de compra no seu site de vendas online? Ele cansa o seu cliente, ou é um processo prazeroso? Aprimore a navegação no seu portal, melhore o design, a apresentação dos produtos. Surpreenda com promoções e bônus quando o cliente menos espera. Capriche no conteúdo, nas informações sobre cada produto. A exposição dos seus produtos é feita por fotos? Que tal começar a lançar alguns vídeos mais ousados? Surpreenda com promoções e bônus quando o cliente menos espera. Capriche no conteúdo, nas informações sobre cada produto.

6. Domine a fundo a mensagem

Steve Jobs foi um dos maiores vendedores do planeta. Ele sabia como ninguém apresentar o seu produto, contar histórias fascinantes, valorizar a sua criação, prender a atenção do público a cada novidade, sabia o que dizer e escolhia bem as palavras. Estude para entender a fundo o e-commerce. Peça ajuda de um especialista, aproveite a empresa que ofereceu a plataforma a você e tire dúvidas, sugira mudanças, trabalhe junto com a equipe de desenvolvimento. Ë preciso que a mensagem passada pelo seu site de compras flua com naturalidade ao consumidor.

7. Venda sonhos, não produtos

No comércio eletrônico, não tente fazer igual a gigantes como a Amazon, as Lojas Americanas, Casas Bahia, entre outros. Certamente, seu produto também é vendido em uma dessas lojas. No entanto, se você conseguir que o cliente compre no seu site e ainda passe referências, como “aqui é o lugar onde compro isso”, você ganhou o dia.

Foto do topo: Ben Stanfield/CC

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar