Plataformas com muitos e com poucos clientes: entenda qual é melhor para você

A influência da plataforma no desempenho do seu e-commerce.

Ao pesquisar a melhor plataforma de e-commerce para o seu negócio, você se depara com um mundo de opções. Depois de ler e-books, artigos e outros materiais, você também encontra algumas listas com “as mais usadas” ou as “melhores”, algumas mais caras e outras com um preço mais acessível. A relação de clientes listada na página inicial do site também “enche os olhos” de quem precisa fazer a melhor escolha. No entanto, nem sempre a empresa que possui o maior portfólio de clientes é aquela que vai te trazer os melhores resultados. A seguir eu explico o porquê.

Em primeiro lugar, além de estar decidido e seguro do futuro imediato do seu negócio: qual será o produto, o preço, a região de alcance, se a venda será para o consumidor final ou revendedor, se você manterá um estoque próprio ou utilizará o estoque de terceiros, é preciso pensar no futuro distante: qual o volume ideal de vendas eu preciso? A plataforma vai suportar esse crescimento? Se eu aumentar o número de produtos a plataforma continuará sendo viável?

Se o seu objetivo é fazer com que o seu e-commerce cresça de verdade, entenda desde já: a plataforma não deve ser entendida como um custo ou uma mera ferramenta. Na verdade, esse é um investimento estratégico para promover um crescimento sustentável. Isto é, o sistema que você contratar precisa estar preparado para receber o maior número de visitantes possível, sem que a performance do seu site seja prejudicada, gerando quedas, travamentos e outros transtornos aos usuários. Essa capacidade de crescer junto com o aumento dos acessos é o que chamamos de escalabilidade.

Entender do que se trata a escalabilidade é fácil quando comparamos à realidade das lojas físicas. Quantas vezes você desistiu de fazer uma compra porque a fila estava muito longa? Se uma loja possui dois vendedores para atender a demanda diária de vendas e durante o período de Natal – onde o movimento triplica – o gestor decide manter o número de funcionários, o resultado pode ser catastrófico. Mesmo com um público maior, os dois vendedores não “darão conta” de todos os clientes, gerando filas, lentidão e descontentamento. Em vez de aproveitar o movimento para faturar mais, o resultado é uma leva de clientes insatisfeitos.

No mundo online é ainda pior: qualquer pequeno obstáculo é suficiente para um consumidor se sentir frustrado. Existe tanta competitividade que basta um pequeno erro para que o cliente passe para o próximo resultado de busca. A relação lentidão x queda na conversão é real e analisada há anos por grandes empresas. A Amazon, por exemplo, descobriu que cada segundo de demora no carregamento da página pode custar US$1,6 bilhão de sua receita anual. Já o Walmart observou um aumento de 2% em sua conversão ao melhorar o carregamento em apenas um segundo. Isso em 2012, quando o número de sites disponíveis era ainda menor.

Toda a infraestrutura que mantém a sua loja deve ser robusta o suficiente para aguentar picos de tráfego e evitar instabilidades na hora de concluir o processo – outro fator determinante para desistências.

Muitos clientes, pouca performance.

Algumas empresas fornecedoras de e-commerce focam na obtenção do maior número de clientes possível. Como a instalação do sistema é dividida com outras centenas de empresas, o custo se torna menor. São as opções “baratinhas” do mercado. No entanto, esse compartilhamento pode gerar prejuízos no desempenho do seu site!

Caso uma empresa prefira ter uma instalação exclusiva, onde a performance do sistema fica totalmente independente dos projetos de outros clientes, o custo é bastante alto. São sistemas desenvolvidos por grandes empresas, onde os custos com plataforma podem chegar até 3 milhões de reais.

Mas existem opções intermediárias. A Flexy Digital criou um sistema dividido em duas partes, onde a seção administrativa (back-end) é compartilhada com os demais clientes, mas o front-end, o layout acessado pelos clientes finais, é separado. Dessa maneira, os sites não concorrem com outros e garantem o maior desempenho possível, não importando a quantidade de pageviews.

Por isso, pesquise bem! Enquanto a carteira de clientes pode, sim, trazer credibilidade, sua decisão na hora de escolher a plataforma não deve ser feita somente com base nesse fator. Entre em contato com um especialista Flexy aqui para encontrar a melhor solução para sua empresa.

Comentar

One thought to “Plataformas com muitos e com poucos clientes: entenda qual é melhor para você”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar