Shopping Físico: como expandir os negócios com o marketplace?

Crescimento do marketplace pode ser oportunidade para o shopping 

Desde o final de 2017, quando pela primeira vez, a internet superou os shopping centers como opção de compras para o Natal, a escolha por estabelecimentos físicos para fazer compras tem diminuído no país. Essa realidade foi ainda mais intensificada durante a pandemia da Covid-19. Afinal, esses locais tiveram que fechar as portas e os consumidores foram obrigados a comprar exclusivamente online. Diante das divergências, gestores de shopping físicos têm buscado opções para contornar a crise com o investimento em marketplace.

Em 2021, as vendas online superaram as do shopping centers 

A pandemia contribuiu para acelerar as tendências de consumo digitais. Segundo um estudo da gestora Canuma Capital, em 2021, as vendas online atingiram R$ 260 bilhões. Já em 2019, no período pré-pandemia, as vendas foram de R$ 160 bilhões.  

Por outro lado, a receita dos shopping centers caiu no ano passado. A estimativa é que tenham fechado 2021 com um faturamento de aproximadamente R$ 175 bilhões. Em 2019, esses centros tiveram uma receita de R$ 190 bilhões.  

Nesse sentido, esses dados comprovam a necessidade de gestores de shopping físicos procurarem novas oportunidades. Uma delas é o desenvolvimento de um shopping virtual, e-commerce que utiliza a tecnologia de marketplace e possibilita a criação de vitrines para as diferentes marcas que integram o shopping físico.

No marketplace, cada lojista administra exclusivamente os seus produtos, pedidos e promoções enquanto o administrador do shopping acompanha os dados de todas as lojas em um único painel. Já o cliente pode comprar de diferentes lojas do shopping em uma única compra. Isso é possível, pois os lojistas compartilham um único carrinho que, após a compra, é dividido em pedidos de cada uma das lojas. 

Esses fatores contribuem para o shopping oferecer mais competitividade aos seus lojistas, fazendo com que não fiquem restritos apenas aos consumidores offline. Além disso, por meio da plataforma de marketplace, o shopping pode cadastrar quantas lojas quiser e ainda acompanhar os pedidos e exibir promoções e outras informações conforme grupos de clientes específicos.

Shopping virtual X Shopping físico

Uma dúvida comum que o administrador enfrenta é se o shopping virtual irá tirar o público do físico. A resposta é não. Apesar da resistência por parte dos varejistas tradicionais e do medo de perder espaço para a internet, a realidade é que a convergência entre os canais online e offline é um requisito básico para se manter competitivo.

Inclusive, já escrevemos um artigo que explica exatamente essa tendência, acesse: O que é omnichannel e como se beneficiar dessa estratégia?

Quais as vantagens do shopping ter um marketplace?

Investir em um shopping center virtual a partir do seu shopping físico possibilita:

  • Aumento do fluxo de compras;
  • Vendas para outras localidades, como cidades vizinhas;
  • Divulgação da sua marca/rede como shopping e não apenas das lojas que o compõem;
  • Custo de implantação menor em comparação a abertura de um novo shopping físico em outra região;
  • Variação da forma de entrega do produto como “retirar na loja”, possibilitando que o consumidor compre online, mas também conheça a loja do shopping.

Portanto, o planejamento do seu portal virtual deve ser feito de modo a unir as forças entre o online e offline. Além da possibilidade de fazer a troca de produtos comprados na internet na loja física, uma maneira de dar ainda mais visibilidade ao seu e-commerce é o investimento em marcas exclusivas. Isso pode ser feito por meio da parceria com as lojas do shopping físico. Assim, pode atrair mais clientes e incentivar as compras em seu portal. 

Existem muitas oportunidades para expandir as vendas em shoppings físicos por meio de uma plataforma de marketplace. Para saber como a Flexy pode ajudar o seu negócio, converse com os nossos especialistas em e-commerce, eles estão prontos para ajudar.  

Comentar

One thought to “Shopping Físico: como expandir os negócios com o marketplace?”

  1. Bom dia. Acompanho o trabalho de vocês e vejo a ideia como interessantíssima, mas infelizmente achei inviável devido a manutenção mensal cobrada, já que ela é feita em cima de visitação e não de realização de vendas. Se no futuro esta cobrança for mudada, aí acho que se tornará mais viável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar