E-commerce: solução em tempos de crise!

Economia se recupera lentamente mas vendas online seguem crescendo.

O cenário econômico brasileiro passou por períodos instáveis: juros altos, retração, incerteza política e projeções pessimistas que causaram alguns prejuízos em vários setores. No entanto, para 2020, a expectativa é que a economia se recupere lentamente, segundo as projeções da XP Investimentos. Já o varejo digital segue “nadando contra a maré” e deve continuar crescendo, com previsão de que dobre de tamanho nos próximos quatro anos. Sem dúvidas, a opção mais eficaz para driblar os tempos de crise e manter-se competitivo é a criação de um e-commerce!

De acordo com a XP, essa lentidão na recuperação econômica acontece devido à dependência do setor privado: “com as reformas propostas pelo governo, os investimentos realizados por empresa no Brasil devem crescer, ajudando a acelerar a economia”. Os economistas da XP preveem um crescimento de 1,6% do PIB no quarto trimestre deste ano, graças ao aumento do consumo no final do ano.x

Crescimento lento no varejo tradicional, porém, rápido no digital! As vendas digitais devem chegar a R$ 180 bilhões em 2023, com crescimento de 10% no varejo como um todo, contra os 7% atuais. O crescimento médio anual do e-commerce previsto para o período de 2019 a 2023 é de 19%.

Segundo o relatório da Webshoppers, publicado pela E-bit, apesar dos anos anteriores terem sido marcados por instabilidade, o comércio eletrônico se destacou novamente no mercado brasileiro ao atingir um patamar de aumento em 2019, registrando 12% de crescimento nominal somente no primeiro semestre, atingindo um faturamento de R$26,4 bilhões. A projeção é que se alcance R$61,2 bilhões, crescendo o total de 15%.

e-commerce tempos de crise
Faturamento Vendas Online | Fonte: E-bit 2019 – Webshoppers 40

As categorias com ticket médio baixo são as principais responsáveis pelo expressivo aumento no número de pedidos em 2018. Perfumaria e Cosméticos (6,8% de importância), cujo ticket médio é R$ 181, foi a que mais cresceu em comparação a 2017 (51%). 

Informática (27%), Alimentos e Bebidas (23%), Casa e Decoração (16%), Esporte e Lazer (10%) e Eletrônicos (10%), que apresenta o maior ticket médio (R$1.158) também apresentaram crescimento de dois dígitos em volume de pedidos no comparativo com 2017. 

Os dados nos mostram que mesmo em momentos de instabilidade econômica, o consumidor enxerga a internet como um canal para comprar de forma mais planejada e com melhor custo-benefício. 

No entanto, apenas abrir uma loja virtual não é suficiente. Para fazer com que o e-commerce cresça e traga algum rendimento, é preciso inovar! Isso inclui não só um bom planejamento, mas também estratégia de preços, canais, logística, marketing e, claro, contar com uma plataforma de vendas robusta. Colocar isso em prática demanda investimento, principalmente de tempo, e dedicação. Senão, escalar fica difícil!

Confira os 3 fatores críticos de sucesso do e-commerce aqui. Acesse também o infográfico para entender como uma plataforma completa pode contribuir com o aumento do lucro do seu negócio.

O varejo digital ainda tem um grande potencial para crescer no Brasil, independentemente da situação econômica. Mesmo em tempos de crise, a hora de investir em um e-commerce é agora! A Flexy Digital pode ajudar a sua empresa a encontrar a melhor estratégia para colocar seu e-commerce no ar. Entre em contato aqui

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar