Quero vender e-commerce na minha agência. E agora?

Em artigos anteriores mostramos as razões para as agências investirem em e-commerce em 2015, como oferecer e-commerce ajuda a diversificar a carteira de serviços da agência e porque as agências devem estar à frente dessa tendência. Hoje eu vou partir do pressuposto que você aceitou nossos argumentos e decidiu vender e-commerce na agência sob sua coordenação. Nesse momento a sua agência passou a ter um papel pró-ativo em relação aos clientes, levando-os a abrir um novo e importante canal de vendas, ampliando o alcance deles no mercado em ​regiões que não eram exploradas por aquela marca, com baixo custo e fácil gestão de negócio.

É importante ressaltar que, ao oferecer e-commerce, a sua agência terá uma grande demanda de novos serviços, como planejamento estratégico de marketing digital, criação de campanhas promocionais, gerenciamento de performance ​em marketing de busca e criação de layout. Foi o que aconteceu com um de nossos parceiros,​ a agência Jungle, de Cianorte​. ​A agência logo descobriu que além do e-commerce voltado ao varejo, que vende produtos ao consumidor final, também existia esta tecnologia voltada ao atacado online. Cianorte é um pólo de grandes marcas industriais de moda e ao incorporar a venda do e-commerce, a empresa percebeu que os clientes tinham novas necessidades provenientes desse novo canal de vendas e que ​poderiam contar com a agência para auxiliá-los​ a ampliar suas vendas​.​ O e-commerce empoderou a ​agência.

​Partindo para a prática. ​O primeiro passo ​para vender e-commerce na agência é encontrar uma plataforma que você confia e que vai atender as necessidades dos seus clientes. Muitas agências tentam internalizar essa etapa, adquirindo uma sistema open source e contratando um programador para fazer esse trabalho. O grande problema – e a razão pela qual nenhuma agência deveria fazer isso – é que ​este não é o core business de uma agência, portanto é fácil identificar que ela não possui nenhum conhecimento nessa área. Gerenciar programadores não é uma tarefa trivial. Eles são profissionais muito qualificados e não é raro encontrar agências que sentem-se perdidas ao tentar conversar tecnicamente com este profissional. Tida a sua operação fica nas mãos de uma só pessoa. Se esse programador sair​ ou decidir que não seguirá suas determinações todos os seus e-commerces estarão em risco, já que é difícil a transferência de trabalho entre esses profissionais.

Há muitas razões para evitar esta abordagem: esta tecnologia normalmente não atende todas as demandas de vendas necessárias para um e-commerce sério, fica obsoleta rapidamente, o custo é alto e é necessário criar uma rede de atendimento ao cliente para suporte técnico, fugindo totalmente do core business da agência. E ainda há outro argumento importante: esse tipo de tecnologia possui um projeto altamente estático, o que dificulta a personalização para atender as necessidades de clientes de diferentes segmentos. A alternativa? Busque uma parceria com uma empresa especializada em negócios digitais, como a Flexy.

​Ao buscar por um parceiro, avalie seu conhecimento tecnológico, a infraestrutura de servidores, equipes de desenvolvimento, atuazação tecnlógica, segurança e gestão de servidores, mas principalmente ​o conhecimento da empresa em varejo e em atacado. De nada interessa uma tecnologia que naõ sirva às necessidades do seu cliente. Este é um aspecto bantante comum entre as plataformas tecnológicas opensource. Em geral elas são desenvolvidas por programadores que não tem vivência alguma em varejo um em atacado. Procure um especialista.

Nesse tipo de parceria, a empresa fica responsável pelo treinamento completo sobre as tecnologias, produtos, métodos de vendas e normas técnicas para a criação do layout, que pode ser personalizado livremente para qualquer cliente. Em seguida, a agência e a empresa parceira agendam uma série de visitas comerciais conjuntas, para apresentação do novo serviço. Uma vez fechado o negócio, a Flexy aplica o kick off do projeto, definindo o cronograma e as tarefas para a entrega do e-commerce. Nesse tipo de parceria, a empresa responsável pela tecnologia fica responsável pela programação do software, suporte e manutenção, de acordo com as demandas enviadas pelas agências.

Uma vantagem específica da Flexy é que somos uma das poucas empresas de tecnologia do Brasil que remunera agencias sobre as vendas. Se ficou interessando em vender e-commerce na sua agência nessas condições, entre em contato conosco.

Comentar

One thought to “Quero vender e-commerce na minha agência. E agora?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar