plataforma de e-commerce B2B

Você realmente tem uma plataforma de e-commerce B2B? Teste aqui.

Já sabemos que as ferramentas de comércio eletrônico vão muito além da venda direta de lojistas a consumidores (B2C). Uma plataforma de e-commerce B2B (Business-to-business) evoluiu para uma espécie de centro avançado de operações capaz de mapear o seu negócio com dados estratégicos para a gestão da empresa. Mais: uma plataforma de e-commerce B2B genuína é capaz de integrar todos os agentes da cadeia de vendas – distribuidores, representantes comerciais, fornecedores, entre outros. Portanto, fique atento com o tipo de plataforma que você contratou para dar suporte às operações de comércio eletrônico. Neste post, vamos listar algumas particularidades das verdadeiras plataformas e-commerce B2B.

Como já comentamos, podemos iniciar com a integração da cadeia de vendas, sem que haja conflito de canais. Uma das vantagens da verdadeira plataforma de e-commerce atrelada ao B2B é a possibilidade, por exemplo, de exibir os antigos catálogos de produtos em um tablet, o que facilita a realização de pedidos do representante comercial em nome dos lojistas. Por sua vez, o lojista também poder oferecer o produto de seu fornecedor​ ​em uma vitrine da merca e vender online ao consumidor final via internet por meio do sistema do fornecedor, participando assim da cadeia comercial e evitando conflitos entre fornecedor e revenda​. O que vemos aí é uma integração de base de dados em uma única plataforma, o que favorece toda a cadeia. ​A esta extensão das funções de uma plataforma B2B damos o nome técnico de B2B2C ou o nome comercial de vitrine da marca ou e-commerce descentralizado.​

Outra condição de uma verdadeira plataforma de e-commerce B2B é a capacidade de aplicar o e-commerce descentralizado. ​Intependentemente do nome adotado, a partir desta tecnologia, a indústria que investe em e-commerce para venda direta ao consumidor final, por exemplo, pode oferecer para cada unidade da rede uma loja vitual “montada”. A loja pode ser hospedada no mesmo portal da marca ou em um site exclusivo. A parte logística é administrada por cada unidade, com base em um estoque próprio. Em algumas delas, por exemplo, quando falta produto para o e-commerce em uma revenda, há busca pelo mesmo item em outra para atender a demanda.

Uma plataforma de e-commerce genuína também apresenta os seguites fatores, já levantados em um post anterior:

1 – Serviço de implantação e acompanhamento: fique atento ao serviço prestado do fornecedor: criação do projeto de e-commerce, implantação da plataforma, capacitação do empresário e acompanhamento do sucesso da operação de e-commerce. Uma plataforma de e-commerce fora da curva não entrega apenas um software.

2 – Modulação e escalabilidade: a plataforma de e-commerce deve ser suscetível à integração com outros sistemas, como o webservice de uma transportadora, um gateway de pagamentos, com o CRM da sua empresa, entre outras modulações.

3. Flexibilidade e adaptação: a plataforma tem que ter a cara da sua empresa, tanto no visual quanto no cadastro de produtos, disponibilidade de estoques, entre outros.

4. Segurança: a melhor plataforma deve utilizar recursos físicos e virtuais para garantir o sigilo e segurança de todas as informações e transações ocorridas no seu site de vendas online (rotinas de backup diárias, espelhamento de servidores, restrições de acesso, certificados SSL exclusivos, entre outras práticas).

Por essas razões, antes de contratar uma plataforma de e-commerce B2B, certifique-se do que ela oferece. Não se contente apenas com um software, sob pena dos seus objetivos fracassarem a médio e longo prazo no comércio eletrônico.

Comentar

4 thoughts to “Você realmente tem uma plataforma de e-commerce B2B? Teste aqui.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar