tire seu plano do papel

Tire seu plano do papel: Ano novo, projetos novos!

Chegou a hora de colocar seu e-commerce para funcionar

Todo início de ano é marcado por um sentimento de renovação. É hora de fazer novas resoluções: alguns querem emagrecer, outros querem aprender uma nova língua, outros desejam mudar de carreira. E como estão os seus planos profissionais? Em 2020, damos as boas-vindas a uma nova década: seguimos mais conectados do que nunca, exigentes, heavy user das redes sociais e, claro, multicanais! Portanto, se você planeja criar uma loja virtual ou migrar o seu negócio para a internet, não nos faltam argumentos para convencer de que agora é a hora de tirar seu plano do papel!

Encerramos 2019, mais uma vez, com números animadores! Somente no primeiro semestre do ano, foram alcançados 26,4 bilhões de reais em faturamento – valor 12% superior ao primeiro semestre de 2018, segundo os dados da Ebit-Nielsen (2019). A estimativa é que o faturamento anual tenha fechado em torno de 61,2 bilhões.

Webshoppers 29, 2019.

Outra data que merece destaque é a Black Friday, realizada na última sexta-feira de novembro, que em 2019 atingiuum recorde de faturamento para as lojas online. Segundo o levantamento da Ebit/Nielsen, o varejo online brasileiro faturou R$3,2 bilhões entre quinta e sexta, representando um aumento de 23,6% em relação ao mesmo período de 2018, superando as expectativas!

E será que continuaremos assim em 2020? 

Tudo indica que sim. Grandes empresas estão sempre dispostas a investir em tecnologia e inovação, pois entendem que ao lançar uma solução mais acessível, barata e eficiente ao consumidor elas podem ganhar liderança no mercado, deixando para trás quem decidiu “ficar no mesmo lugar”.

Independente do cenário econômico em 2020, a preocupação com as transformações disruptivas está no radar das empresas. Por isso, investimentos em tecnologias, P&D, inovação e qualificação de pessoas são apontados como prioritários. Foi o que apontou a pesquisa Agenda 2020 realizada pela Deloitte, em dezembro de 2019: 74% das empresas pretende adotar novas tecnologias, independente do cenário econômico em 2020 e, se o cenário econômico e de negócios melhorar, esse número sobe para 94%.Ou seja, não é mais somente uma questão de tirar os planos do papel mas de se mexer para não ficar para trás!

Os hábitos dos consumidores também têm evoluído: não fazemos compras como antigamente. O marco atual é o crescimento das compras realizadas por smartphones. A evolução do m-commerce é uma das alavancas do crescimento de pedidos online. Somente no primeiro semestre de 2019, o número de pedidos feitos por um telefone móvel cresceu 57% em comparação ao primeiro semestre de 2018.

Webshoppers 29, 2019

Nossos celulares são quase um acessório fixo ao nosso corpo: não tiramos os olhos dessa telinha para pesquisar, comprar, mandar mensagem. Líderes inovadores como Uber, Rappi, Netflix, AirbNb se aproveitaram dessa realidade e, hoje, já não imaginamos nossa vida sem eles! 

O que vem depois? As pesquisas demonstram que a tendência é a utilização dos assistentes de voz para realizar compras.

  • Desktop: comprar a qualquer hora
  • Mobile: comprar a qualquer hora e de qualquer lugar
  • Assistente de voz: novo cenário de vendas cruzadas, variedade ilimitada, visibilidade reduzida, conhecimento do consumidor por meio do seu rastro digital.

Scan & By, Scan & Go e Social Commerce são outras oportunidades. O mesmo relatório da E-bit/Nielsen revelou que depois dos portais de busca (25% das indicações), as redes sociais foram as maiores motivadoras de compras na internet (19%), com destaque para o Facebook.

Um empresário, ao iniciar um projeto de e-commerce, deve considerar sua presença online por completo – integrando todos os canais possíveis, dando possibilidades do consumidor de pesquisar, entrar em contato e realizar a compra final como preferir.  

Leia também: O que é omnichannel e como se beneficiar dessa estratégia?

Você está pronto?

Uma empresa pode pensar que ainda não está pronta, ou que o seu público não está acostumado a utilizar a internet para fazer compras. Pode ser o caso das indústrias, por exemplo, que trabalham com cadeias produtivas complexas, vendem em grandes quantidades, a preços imensuráveis pelo consumidor comum e são dependentes da ação dos Representantes Comerciais. Mas isso não é verdade.

Leia também: E-commerce B2B – Meus clientes vão mesmo fazer pedidos pela internet?

Com o passar dos anos, a tecnologia para sistemas de venda online amadureceu. Hoje existem plataformas completas e robustas capazes de atender os mais diferentes modelos de negócio, com suas regras específicas por um custo bastante acessível, principalmente quando se trata de tecnologia SaaS, onde os custos de servidor, equipe de suporte, atualizações da tecnologia, entre outros são divididos entre os usuários do sistema. O momento é agora!

Entre em contato com a Flexy aqui e saiba como podemos ajudar você a tirar os planos do papel! 

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar