Afinal, você sabe qual é o impacto do e-commerce no varejo?

O impacto do e-commerce no varejo durante a pandemia mostrou a grande tendência das compras online. Muitos comerciantes de lojas físicas tiveram de adaptar seus negócios para o ambiente virtual. Isto se deve em parte pelo fechamento temporário das lojas físicas e dos shoppings, considerados serviços não essenciais. 

Porém, parte desse impacto do e-commerce no varejo se deve também ao isolamento social. Isto porque, para muitas pessoas, o afastamento continua mesmo após quase um ano. Neste período, o brasileiro descobriu o conforto das compras online. 

De acordo com dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), mais de 11 milhões de brasileiros fizeram sua primeira compra pela internet entre abril e setembro de 2020. No mesmo período, surgiram 150 mil novas lojas online. 

Ou seja, a necessidade dos consumidores impulsionou a mudança na maneira de oferecer os produtos

Impacto do e-commerce no varejo

Apesar do crescimento do número de lojas online e do número de vendas, o impacto do e-commerce no varejo não foi suficiente para dar lucro às grandes empresas varejistas. 

Neste sentido, as vendas online apenas minimizaram as perdas do setor. Os varejistas ainda têm grandes custos com a manutenção das lojas físicas. E, ainda, sua necessidade de fortalecer o caixa para se prevenir contra os impactos da crise econômica diminuiu os lucros.

Estas empresas também acabaram utilizando parte dos ganhos com o e-commerce para incrementar o planejamento logístico das entregas. Este fator é essencial para que um e-commerce tenha sucesso. 

Neste contexto econômico, as empresas não podiam perder clientes, logo, precisaram aperfeiçoar outros processos que pesaram no orçamento:

  • O reforço dos estoques de produtos; 
  • As melhorias no atendimento; 
  • O aperfeiçoamento das etapas de pós-venda;
  • Sistemas de emissão de nota fiscal eletrônica;
  • Contratação de pessoal para o atendimento online.

O que mudou no comportamento do consumidor? 

A adoção de atendimento multicanal e omnichannel foi necessária para atender o novo consumidor. A mudança mudou de comportamento para o online e a exigência de bom atendimento nos diversos canais reforçaram o impacto do e-commerce no varejo. 

A presença digital da sua loja nos mecanismos de busca e redes sociais passou a ter maior importância para oferecer uma experiência de compra completa. Assim, o cliente pode pesquisar sobre o produto, tirar dúvidas e ver opiniões de outros consumidores 

Agora o consumidor quer mais do que isso de suas compras virtuais. Como as dinâmicas sociais estão mais restritas, ele passou a valorizar outros fatores. Veja quais são eles:

  1. Comodidade

O maior impacto do e-commerce no varejo para o consumidor é o fato de poder fazer suas compras no conforto de sua casa. Isto se relaciona com a praticidade de escolher o produto que deseja e recebê-lo corretamente e no prazo. Assim, a logística é um fator de grande importância.

Além disso, pensando na experiência de compra, é interessante também que sua loja virtual seja antes de tudo responsiva: precisa estar adaptada para dispositivos móveis. Muitas vezes a pesquisa por produtos e as compras são realizadas por meio de smartphones. 

  1. Disponibilidade

A loja virtual está aberta para o consumidor visitar 24 horas por dia, qualquer dia da semana. Dessa forma, ele pode acessar a hora que desejar, sem precisar se prender a horários de funcionamento do estabelecimento. 

Mesmo que o pedido seja processado apenas no dia seguinte, o importante é que o usuário possa fazer seu pedido a hora que quiser. 

Além disso, a loja virtual também funciona como uma vitrine, que está igualmente disponível para visita e visualização a qualquer hora. 

  1. Comparabilidade

Um grande impacto do e-commerce no varejo é que a internet permite que o consumidor compare produtos com muito mais facilidade. Em um shopping center, por exemplo, o consumidor precisa ir em cada loja procurar o que mais lhe atrai. No mundo virtual, ele pode simplesmente abrir uma nova aba em seu navegador. 

Sendo assim, seu produto precisa ser atraente e seu site funcional para fazer concorrência a outras lojas virtuais!

  1. Competitividade

A competitividade dos preços das lojas online chama a atenção dos consumidores. Muitas vezes o produto procurado tem um preço mais atrativo no e-commerce do que na loja física. Ao aderir a uma loja virtual, você pode ampliar suas vendas e aumentar a força competitiva da sua marca. 

Você já deve ter percebido que um mesmo produto é muito mais barato na loja virtual de uma empresa do que na loja física. Isso se dá pelo custo de manutenção menor que esse tipo de loja demanda. Dessa forma, um dos impactos do e-commerce é o aumento da força competitiva do comércio.

Qual o futuro do varejo? 

Muito antes da pandemia, a Natura se tornou um case de sucesso no varejo ao implementar uma estratégia de inovação digital e aderir ao e-commerce. A empresa fez uma transição para o modelo híbrido de vendas físicas e online para as mais de 1 milhão de consultoras espalhadas por todo o Brasil. 

O modelo utilizado é o de marketplace ou e-commerce associativista, com um programa de afiliados. Nele, as consultoras podem divulgar suas lojas e prospectar as vendas, ficando com uma comissão. 

Se este modelo já era uma tendência, com a pandemia se tornou ainda mais forte. O Magazine Luiza, por exemplo, abriu a possibilidade de um processo semelhante a partir de abril de 2020. 

Sua loja ou sua franquia não deve ficar de fora desta tendência para não ficar para trás. O virtual se tornou indispensável e o brasileiro já se acostumou a esta nova ideia. 

A Flexy possui soluções especialmente voltadas para que você consiga trazer suas operações de vendas para o digital. Um e-commerce bem estruturado pode definitivamente  incrementar o faturamento da sua empresa!

Nossa plataforma é completa e oferece softwares e serviços para que sua operação seja bem sucedida. As ferramentas disponíveis podem se adaptar às suas necessidades e ao nicho de mercado com facilidade, sendo B2B ou B2C. 

Se você tem um e-commerce descentralizado, é possível gerenciar todas as marcas dentro de um marketplace. E isto sem gerar conflitos entre os diferentes canais de vendas!

Quer saber como isso é possível? Acesse nosso e-book Marketplace – Varejo de Marcas da Indústria! 

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você também pode gostar